Encontros na Literatura para a infância – diálogo entre adultos

ENCONTROS NA LITERATURA PARA A INFÂNCIA – DIÁLOGOS ENTRE ADULTOS

Sinopse:

O livro de literatura para a infância é o elemento de mediação do encontro temático. Através deste recurso emerge a troca reflexiva sobre o tema em questão, falamos de dificuldades sentidas na componente pedagógica e relacional com as crianças bem como de possíveis metodologias de intervenção.

Dinâmica:

A dinâmica é dividida em três momentos distintos. Ao longo desses momentos utiliza-se o livro de literatura para a infância como forma de refletir sobre a temática em questão numa perspetiva pessoal e de grupo. A dinâmica permite balançar a componente teórica com a reflexão realizada potencializando-se a troca interpessoal no sentido de encontrar possíveis intervenções e novas perspetivas. As dificuldades sentidas e as situações vivenciadas pelos adultos no seu percurso pessoal e profissional, no seu dia-a-dia, no âmbito da educação de infância e nas relações que estabelecem, acabam por verter no caudal sereno e contentor da reflexão grupal, havendo a possibilidade de partilhar estas emoções, de as acolher e elaborar.

Objetivos

– Vivenciar a riqueza da literatura para a infância na reflexão, no diálogo e na livre projeção de afetos vivida pelos profissionais que trabalham com a infância

– Proporcionar a exploração de diferentes livros ao longo das sessões e da importância das suas componentes (narrativa, ilustração)

– Permitir a reorganização de situações ou momentos partilhados e dar espaço para que surjam novas perspetivas e hipóteses de resolução

– Potenciar a cumplicidade e empatia intra equipas ou grupos de reflexão colocando em diálogo as emoções e o simbólico

–  Criar um contexto de reflexão e compreensão do desenvolvimento infantil através do que é partilhado no grupo

Participantes:

Mínimo 4 adultos

Tempo:

1h a 3h pontual ou de continuidade

Exemplo de temáticas exploradas:

– Limites – organizadores da infância

– Construtividade dos medos

– Trocas de memórias da Infância dos adultos vs acolhimento da infância das crianças

– Frustração do adulto e da criança (emoções e formas de gestão)

– Processo de gestão da zanga /autocontrolo

– Adulto enquanto referência contentora e apaziguadora dos medos da infância

– O papel de reparação, transformação do adulto

– Importância do prazer e da serenidade das tarefas (por parte do adulto e da criança)

– A gestão do tempo e dos afetos