INTERVENÇÃO TERAPÊUTICA em Educação de Infância e 1º ciclo

“OUVIR O FALAR DAS LETRAS” – PROJETO DE INTERVENÇÃO TERAPÊUTICA 

em Educação de Infância e 1º Ciclo

Este é um projeto de acompanhamento regular de grupos de crianças com problemáticas desenvolvimentais. Este percurso envolve um conjunto de sessões onde o livro para a infância é usado como fio condutor de toda a dinâmica. Pretende-se que seja um momento tranquilo, mediado pela psicóloga com o apoio de um adulto de referência do grupo, onde a palavra surgirá espontaneamente e a tranquilidade no fluir da linguagem e da interpretação das emoções poderá dar às crianças a hipótese de aceder a outras formas comunicacionais e de estimulação da linguagem, podendo, deste modo, aliviar as próprias tensões.

A referência da criança para um grupo terapêutico requer o conhecimento e a aceitação por parte da família. Esta etapa pode fazer emergir nos pais um sentimento positivo de sensibilidade, acompanhamento e cuidado por parte da instituição, iniciando-se um caminho a par com especialistas na área. No entanto, também pode levar, naturalmente, ao despoletar de questões e ansiedades que requerem uma devolução reconfortante e organizadora. É por estas razões que o trabalho com os pais também é muito pertinente e as sessões conjuntas surgirão em diferentes momentos chave do percurso.

Objetivos

– Promover a exploração do livro, de acordo com critérios de seleção bem definidos, enquanto recurso criativo do pensamento, mediador entre as vivências e emoções e a sua livre projeção, associada à capacidade de expressão.

– Mobilizar a criatividade, a fantasia e o pensamento, utilizando mediadores de expressão, dinâmicas de grupo, experiências cinestésicas, a expressão corporal e dramática facilitando a comunicação intra e interpessoal, intervindo nas perturbações do desenvolvimento da linguagem alargando as capacidades de comunicação de crianças.

– Estimular o autoconhecimento, através da simbologia da narrativa, desenvolvendo competências pessoais e sociais, reforçando a autoestima, o saber ser, saber fazer, saber estar.

– Facilitar as relações intra e interpessoais, potenciando a comunicação assertiva, a gestão de conflitos, a resiliência e a capacidade de negociação, a empatia, a capacidade de autorregular emoções, de as conhecer e interpretar.

 – Dar um espaço contentor à criança para encontrar representações para os seus receios, bem como oferecer os livros e as narrativas como um recurso capaz de funcionar como mediador na elaboração de conflitos psíquicos.

– Possibilitar identificações através dos personagens e permitir a produção de representações intermediárias que possibilitem trabalhar afetos e sentimentos que as crianças reprovam em si mesmas.

Reunião de equipa de técnicos – contextualização da intervenção

Antes de dar inicio à intervenção no grupo terapêutico reúne-se a equipa multidisciplinar constituída pela coordenadora pedagógica, psicólogos, terapeutas, educadores, professores, com o objetivo de acompanhar as crianças e as suas famílias ao longo de todo um processo de acompanhamento desenvolvimental nas áreas que carecem de maior estimulação. Este modelo de funcionamento pressupõe a articulação com os serviços disponíveis na instituição colaborante e com todos os recursos humanos em torno da criança e da sua família. Estas reuniões terão uma periodicidade regular.

Dinâmica

a) Duração: 50 minutos; Regularidade: Semanal ou quinzenal (dependendo das problemáticas)

b) Espaço físico – É desejado que o espaço onde decorrem os ateliers seja sempre o mesmo, com características que remetem para um ambiente acolhedor, sereno e expectável com base na metodologia de  Pierre Lafforgue, pedopsiquiatra e psicanalista.

c) Acolhimento;

d) Utilização do livro para a Infância através de uma leitura criativa e expressiva, com o uso de objetos evocativos da narrativa e das emoções.

e) A expressão e reflexão – momento da expressão pela arte, o fluir da imaginação, o cruzar do seu próprio interior com o interior do livro, são propostas realizadas no desenrolar das ações. A psicóloga responde às histórias e abordagens da criança com uma linguagem simbólica que ajude na comunicação, na relação terapêutica. Durante este processo está presente um objeto investido de simbolismo e de significado subjetivo, contentor de afetos, que permite exercícios de regulação emocional – A árvore. Esta intervenção é realizada com base na metodologia e nos trabalhos teóricos de Bianca Lechevalier, Bruno Bettelheim, Celso Gutfriend, Françoise Dolto, João dos Santos, Joana Cavalcanti; Maria José Vidigal, Pierre Lafforgue, Richard Gardner, Teresa Sá,

f) Termina então numa reflexão livre com experiências emocionais e afetivas que serão libertadas através do diálogo e do espaço dado a cada um para se expressar. Cada criança terá um recurso, com função de envelope de afetos, onde guarda concreta e simbolicamente o que emergiu na sessão.

 

Temáticas

Os livros explorados têm, através da seleção criteriosa, um conteúdo rico que envolve emoções e valores nem sempre fáceis de abordar no quotidiano. As temáticas estão ligadas ao desenvolvimento socio emocional e são abarcadas consoante as problemáticas emergentes no grupo. Desta forma podem ser alvo de intervenção problemáticas ligadas a dificuldades de comunicação e de relação com o outro, perturbação do desenvolvimento da linguagem, consciencialização de si e das suas emoções, a identidade, o autoconhecimento (corporal e psicológico), a autoestima, o reconhecimento e gestão de emoções e impulsos, enurese, encoprese, as ansiedades e angustias de separação, a autorregulação e autocontrolo, a capacidade de empatizar, de cooperar, participar em relações saudáveis, de fazer amigos, ser capaz de resolver conflitos, avaliar as prováveis consequências das ações e tomar, responsabilizar-se pelas suas decisões, permitir a descoberta de ferramentas pessoais para a gestão da frustração, entre outras.

Com melhores capacidades sociais, relacionais, comunicacionais, também o ambiente familiar, bem como o contexto educativo e social, ficam mais tranquilos, mais positivos e com espaço para a aprendizagem e um desenvolvimento harmonioso.

 

 Público alvo

Crianças de Pré escolar e 1º ciclo com dificuldades referenciadas.

 

Avaliação

Elaboração de um guião de observação comportamental, acerca das principais dificuldades de cada criança, com análise e readaptação das estratégias de intervenção ao longo do processo e avaliação final.

Conclusão

Este projeto de intervenção terapêutica, através do livro para a infância e de todo o processo de mediação que envolve, possibilita à criança um espaço e tempo para identificar e compreender os afetos, sentimentos e emoções geradores de conflito, assim, abre caminho para elaborações e ressignificações das suas vivencias.

O livro surge com potencialidade de organização do pensamento, no sentido de uma interiorização de soluções em relação às personagens e aos problemas. A narrativa constitui, sem dúvida, um estímulo, um aparelho que permite emergir e transformar a experiência emocional.

As crianças ficam com a noção que as histórias vêm do meio de nós e que são partilháveis com outras crianças, expandem o conhecimento e o desenvolvimento de competências internas para a capacidade de resiliência e de adaptação às problemáticas adjacentes às diferentes etapas do amadurecimento interno emocional, cognitivo e psicossocial.